sábado, 24 de junho de 2017

CRESCER NA COMUNHÃO MÚTUA


CRESCER NA COMUNHÃO MÚTUA
Viver em comunidade.
De alguma maneira todos nós vivemos em uma comunidade, a família, um grupo de amigos, uma igreja, uma associação, etc.
O vínculo com essa comunidade pode ser estreito ou não.
A origem da palavra vem de vida em comum. Isso tem um enorme significado, principalmente para as pessoas que vivem unidas por uma espiritualidade.
Eu vivo em uma comunidade onde nos propomos fazer uma comunhão total de tudo que somos e de tudo que temos.
Isso me dá uma grande liberdade interior, pois vivo o desapego das coisas, das pessoas e de mim mesmo.
O fruto de uma comunhão mútua e contínua é o fortalecimento da fé e a segurança de que nunca estamos sozinhos.
 A comunhão só tem valor se é espontânea e fruto da generosa doação de cada pessoa.

Postagem: Romero Almeida
Mensagem: Apolonio Carvalho Nascimento

Palestra sobre a Teologia do Corpo



Uma vocação ao Amor
Palestrante: Pe Arnaldo Henrique Alves
Dia: 24/06 – sábado
Horário: 14h30 às 17h30
Local: Colégio Galois - Auditório do Ensino Médio
SGAS 901 – Entrada pela L4
Promovido pelo Movimento dos Focolares - Famílias Novas

Postagem: Romero Almeida

sábado, 27 de fevereiro de 2016

"CONSTRUIR PONTES DE PAZ"


"CONSTRUIR PONTES DE PAZ"
Sejamos construtores de pontes entre as pessoas.
A ponte comunica, unifica, expande, elimina abismos e separações, é o simbolo da unidade. Quanto mais amor em seu alicerce, mais sólida será.
Os membros do Movimento Jovens Por Um Mundo Unido criaram a expressão "Let's bridge!", um apelo a construir pontes, a unir ao invés de dividir, a fazer a paz e não a guerra. Um apelo para que sejamos nós mesmos essas pontes que possibilitam o acesso a um mundo mais unido.

#
"COSTRUIRE PONTI DI PACE"

Che possiamo essere costruttori di ponti tra le persone.
Il ponte comunica, unisce, espande, elimina abissi e distanze, è il simbolo dell'unità. Quanto più amore sarà nelle sue fondamenta più solido sarà.
I membri del Movimento Giovani Per Un Mondo Unito hanno creato l'espressione "Let's bridge!", un appello a costruire ponti, a unire invece che dividere, a fare la pace e non la guerra.
Un appello affinché siamo noi stessi questi ponti che favoriscono l'accesso ad un mondo più unito.
Apolonio Carvalho Nascimento

 27 de fevereiro de 2016

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Sobre o Collegamento


Senha do Dia - 12.02.16

"TER MISERICÓRDIA UNS DOS OUTROS"
Desde os antigos profetas e o próprio Jesus, falam que Deus prefere a misericórdia, a justiça, a libertação de todo tipo de jugo antes de qualquer sacrifício ou oferenda. Mas nós, muitas vezes, insistimos em querer fazer comércio com Deus.
Que o amor a Deus e ao próximo seja a motivação do nosso agir. Que o perdão recíproco venha antes das oferendas, para que Deus vendo a harmonia dos nossos relacionamentos queira estabelecer morada no nosso meio.

#
"AVERE MISERICORDIA GLI UNI DEGLI ALTRI"

Gli antichi profeti e lo stesso Gesù dicono che Dio preferisce la misericordia, la giustizia, la liberazioni da ogni giogo prima di qualsiasi sacrificio o offerta. Ma noi, tante volte, insistiamo nel voler mercanteggiare con Dio.
Che l'amore a Dio e al prossimo sia la motivazione del nostro agire. Che il perdono reciproco venga prima delle offerte, perché Dio guardando l'armonia dei nostri rapporti desideri stabilire la sua dimora in mezzo a noi.


Abraços,
Apolonio Carvalho Nascimento
apoloniocnn@gmail.com

Postagem: Romero Almeida

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Palavra de Vida – março de 2014

Palavra de Vida – março de 2014

“Se observardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu observei o que mandou meu Pai e permaneço no seu amor.” (Jo 15,10)

Essas palavras são extraídas do amplo discurso que Jesus dirige aos seus apóstolos após a última ceia, conforme o quarto Evangelho (Jo 13,31-17,26). O que vem em relevo é o fato de que a observância dos seus mandamentos nos faz permanecer no amor. São palavras que fazem lembrar um versículo anterior, no qual Jesus diz aos seus apóstolos: “Se me amais, observareis os meus mandamentos” (Jo 14,15), onde vem em evidência que o amor a Jesus deve ser a motivação, a raiz da qual deve partir a observância dos seus mandamentos.
Existe assim uma reciprocidade entre o amor a Jesus e a prática dos seus mandamentos. O amor a Ele nos impulsiona a viver a sua palavra de modo sempre mais fiel; ao mesmo tempo, a palavra de Jesus vivida nos faz permanecer no amor a Ele – e portanto nos faz crescer sempre mais nesse amor.

“Se observardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu observei o que mandou meu Pai e permaneço no seu amor.”

Portanto, permanecer no seu amor. Mas, o que Jesus quer dizer com essa expressão?
Com certeza ele quer dizer que a observância dos seus mandamentos é o sinal, a prova de que somos seus verdadeiros amigos; é a condição para que também Jesus nos retribua e nos garanta a sua amizade. Mas parece querer dizer também uma outra coisa, ou seja, que a observância dos seus mandamentos constrói em nós aquele amor que é característico de Jesus. Comunica-nos aquele modo de amar que notamos em toda a sua vida terrena: um amor que tornava Jesus uma só coisa com o Pai e, ao mesmo tempo, o impulsionava a identificar-se e a ser uma só coisa com todos os seus irmãos, especialmente os menores, os mais fracos, os mais marginalizados.
O amor de Jesus era um amor que sanava toda e qualquer ferida da alma e do corpo, que doava a paz e a alegria a cada coração, que superava toda divisão, reconstruindo a fraternidade e a unidade entre todos.
Se colocarmos em prática a palavra de Jesus, Ele viverá em nós e transformarátambém a nós mesmos em instrumentos do seu amor.

“Se observardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu observei o que mandou meu Pai e permaneço no seu amor.”

Como viveremos, então, a Palavra de Vida deste mês? Lembrando-nos do objetivo que ela nos propõe e orientando-nos decididamente para este objetivo: uma vida cristã que não se satisfaz com uma observância fria, externa dos mandamentos,fazendo só o mínimo que eles exigem, mas uma vida feita de generosidade. Foi assim que os santos agiram. E eles são a Palavra de Deus transformada em vida.
Neste mês tomemos uma de suas Palavras, um de seus mandamentos, e procuremos traduzi-lo em vida.
E sendo que o Mandamento Novo de Jesus “Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (cf. Jo 15,12) é, de certo modo, o coração, a síntese de todas as palavras de Jesus, vamos vivê-lo com todo o radicalismo.
Chiara Lubich


Este comentário à Palavra de Vida foi publicado originalmente em maio de 1994.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

ACOLHER O OUTRO SEM DISTINÇÕES

Nós somos diferentes uns dos outros. Aliás, não somos apenas diferentes, somos únicos. Cada um é único e irrepetível. A criação de Deus é infinita e para ele cada um é único.
Portanto, devemos nos aceitar e respeitar desse modo, na nossa diversidade.
Ao invés de ser uma barreira, essa diversidade se torna uma imensa riqueza. Basta aceitar o outro como ele é. Com suas idéias, suas crenças, seu temperamento.
Quanto mais nos conhecemos, mais podemos nos ajudar mutuamente. Corrigindo os erros a partir de nós e ajudando o outro sem o julgar ou condenar.
Para hoje, dia
19 de fevereiro de 2014.
"ACOLHER O OUTRO SEM DISTINÇÕES"
Abraços,

Apolonio

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

AMEMO-NOS UNS AOS OUTROS COMO DEUS NOS AMA

Deus nos ama incondicionalmente.
Apesar de nossas faltas, de nossas infidelidades e de nossas incoerências, Ele nos ama sempre.
Sofremos por não acreditar em seu amor. Sofremos por vacilar na fé diante do incompreensível. Pois, mesmo na dor o seu amor se manifesta.
O amor de Deus nos purifica e nos faz melhores.
Ele quer sempre o nosso bem e escolhe meios que nem sempre são entendidos por nós.
Seu amor é misericordioso e infinito. Mesmo se o traímos, mesmo se pecamos, o seu amor nos redime e nos salva em Jesus.
Imitemos o seu amor entre nós.
Para hoje, dia 06 de novembro de 2013:
"AMEMO-NOS UNS AOS OUTROS COMO DEUS NOS AMA"
Abraços,
Apolonio


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

PALAVRA DE VIDA - NOVEMBRO DE 2013


PALAVRA DE VIDA - NOVEMBRO DE 2013

Sede bondosos e compassivos, uns para com os outros, perdoando-vos mutuamente, como Deus vos perdoou em Cristo.” (Ef 4,32)

É um programa de vida concreto e essencial. Só ele já bastaria para criar uma sociedade diferente, mais fraterna, mais solidária. Ele faz parte de um amplo projeto que o Apóstolo Paulo propõe aos cristãos da Ásia Menor.

Naquela comunidade foi alcançada a “paz” entre judeus e gentios, os dois povos até então divididos que representavam a humanidade.

A unidade, doada por Cristo, deve ser sempre reavivada e traduzida em comportamentos sociais concretos, inteiramente inspirados pelo amor mútuo. Daí as indicações de Paulo sobre o fundamento das nossas relações:

“Sede bondosos e compassivos, uns para com os outros, perdoando-vos mutuamente, como Deus vos perdoou em Cristo.” 

Continue a leitura.......