domingo, 28 de fevereiro de 2016

Simpósio Educação à Paz


sábado, 27 de fevereiro de 2016

"CONSTRUIR PONTES DE PAZ"


"CONSTRUIR PONTES DE PAZ"
Sejamos construtores de pontes entre as pessoas.
A ponte comunica, unifica, expande, elimina abismos e separações, é o simbolo da unidade. Quanto mais amor em seu alicerce, mais sólida será.
Os membros do Movimento Jovens Por Um Mundo Unido criaram a expressão "Let's bridge!", um apelo a construir pontes, a unir ao invés de dividir, a fazer a paz e não a guerra. Um apelo para que sejamos nós mesmos essas pontes que possibilitam o acesso a um mundo mais unido.

#
"COSTRUIRE PONTI DI PACE"

Che possiamo essere costruttori di ponti tra le persone.
Il ponte comunica, unisce, espande, elimina abissi e distanze, è il simbolo dell'unità. Quanto più amore sarà nelle sue fondamenta più solido sarà.
I membri del Movimento Giovani Per Un Mondo Unito hanno creato l'espressione "Let's bridge!", un appello a costruire ponti, a unire invece che dividere, a fare la pace e non la guerra.
Un appello affinché siamo noi stessi questi ponti che favoriscono l'accesso ad un mondo più unito.
Apolonio Carvalho Nascimento

 27 de fevereiro de 2016

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Sobre o Collegamento


Senha do Dia - 12.02.16

"TER MISERICÓRDIA UNS DOS OUTROS"
Desde os antigos profetas e o próprio Jesus, falam que Deus prefere a misericórdia, a justiça, a libertação de todo tipo de jugo antes de qualquer sacrifício ou oferenda. Mas nós, muitas vezes, insistimos em querer fazer comércio com Deus.
Que o amor a Deus e ao próximo seja a motivação do nosso agir. Que o perdão recíproco venha antes das oferendas, para que Deus vendo a harmonia dos nossos relacionamentos queira estabelecer morada no nosso meio.

#
"AVERE MISERICORDIA GLI UNI DEGLI ALTRI"

Gli antichi profeti e lo stesso Gesù dicono che Dio preferisce la misericordia, la giustizia, la liberazioni da ogni giogo prima di qualsiasi sacrificio o offerta. Ma noi, tante volte, insistiamo nel voler mercanteggiare con Dio.
Che l'amore a Dio e al prossimo sia la motivazione del nostro agire. Che il perdono reciproco venga prima delle offerte, perché Dio guardando l'armonia dei nostri rapporti desideri stabilire la sua dimora in mezzo a noi.


Abraços,
Apolonio Carvalho Nascimento
apoloniocnn@gmail.com

Postagem: Romero Almeida

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Palavra de Vida – março de 2014

Palavra de Vida – março de 2014

“Se observardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu observei o que mandou meu Pai e permaneço no seu amor.” (Jo 15,10)

Essas palavras são extraídas do amplo discurso que Jesus dirige aos seus apóstolos após a última ceia, conforme o quarto Evangelho (Jo 13,31-17,26). O que vem em relevo é o fato de que a observância dos seus mandamentos nos faz permanecer no amor. São palavras que fazem lembrar um versículo anterior, no qual Jesus diz aos seus apóstolos: “Se me amais, observareis os meus mandamentos” (Jo 14,15), onde vem em evidência que o amor a Jesus deve ser a motivação, a raiz da qual deve partir a observância dos seus mandamentos.
Existe assim uma reciprocidade entre o amor a Jesus e a prática dos seus mandamentos. O amor a Ele nos impulsiona a viver a sua palavra de modo sempre mais fiel; ao mesmo tempo, a palavra de Jesus vivida nos faz permanecer no amor a Ele – e portanto nos faz crescer sempre mais nesse amor.

“Se observardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu observei o que mandou meu Pai e permaneço no seu amor.”

Portanto, permanecer no seu amor. Mas, o que Jesus quer dizer com essa expressão?
Com certeza ele quer dizer que a observância dos seus mandamentos é o sinal, a prova de que somos seus verdadeiros amigos; é a condição para que também Jesus nos retribua e nos garanta a sua amizade. Mas parece querer dizer também uma outra coisa, ou seja, que a observância dos seus mandamentos constrói em nós aquele amor que é característico de Jesus. Comunica-nos aquele modo de amar que notamos em toda a sua vida terrena: um amor que tornava Jesus uma só coisa com o Pai e, ao mesmo tempo, o impulsionava a identificar-se e a ser uma só coisa com todos os seus irmãos, especialmente os menores, os mais fracos, os mais marginalizados.
O amor de Jesus era um amor que sanava toda e qualquer ferida da alma e do corpo, que doava a paz e a alegria a cada coração, que superava toda divisão, reconstruindo a fraternidade e a unidade entre todos.
Se colocarmos em prática a palavra de Jesus, Ele viverá em nós e transformarátambém a nós mesmos em instrumentos do seu amor.

“Se observardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor, assim como eu observei o que mandou meu Pai e permaneço no seu amor.”

Como viveremos, então, a Palavra de Vida deste mês? Lembrando-nos do objetivo que ela nos propõe e orientando-nos decididamente para este objetivo: uma vida cristã que não se satisfaz com uma observância fria, externa dos mandamentos,fazendo só o mínimo que eles exigem, mas uma vida feita de generosidade. Foi assim que os santos agiram. E eles são a Palavra de Deus transformada em vida.
Neste mês tomemos uma de suas Palavras, um de seus mandamentos, e procuremos traduzi-lo em vida.
E sendo que o Mandamento Novo de Jesus “Amai-vos uns aos outros, assim como eu vos amei” (cf. Jo 15,12) é, de certo modo, o coração, a síntese de todas as palavras de Jesus, vamos vivê-lo com todo o radicalismo.
Chiara Lubich


Este comentário à Palavra de Vida foi publicado originalmente em maio de 1994.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

ACOLHER O OUTRO SEM DISTINÇÕES

Nós somos diferentes uns dos outros. Aliás, não somos apenas diferentes, somos únicos. Cada um é único e irrepetível. A criação de Deus é infinita e para ele cada um é único.
Portanto, devemos nos aceitar e respeitar desse modo, na nossa diversidade.
Ao invés de ser uma barreira, essa diversidade se torna uma imensa riqueza. Basta aceitar o outro como ele é. Com suas idéias, suas crenças, seu temperamento.
Quanto mais nos conhecemos, mais podemos nos ajudar mutuamente. Corrigindo os erros a partir de nós e ajudando o outro sem o julgar ou condenar.
Para hoje, dia
19 de fevereiro de 2014.
"ACOLHER O OUTRO SEM DISTINÇÕES"
Abraços,

Apolonio

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

AMEMO-NOS UNS AOS OUTROS COMO DEUS NOS AMA

Deus nos ama incondicionalmente.
Apesar de nossas faltas, de nossas infidelidades e de nossas incoerências, Ele nos ama sempre.
Sofremos por não acreditar em seu amor. Sofremos por vacilar na fé diante do incompreensível. Pois, mesmo na dor o seu amor se manifesta.
O amor de Deus nos purifica e nos faz melhores.
Ele quer sempre o nosso bem e escolhe meios que nem sempre são entendidos por nós.
Seu amor é misericordioso e infinito. Mesmo se o traímos, mesmo se pecamos, o seu amor nos redime e nos salva em Jesus.
Imitemos o seu amor entre nós.
Para hoje, dia 06 de novembro de 2013:
"AMEMO-NOS UNS AOS OUTROS COMO DEUS NOS AMA"
Abraços,
Apolonio


quarta-feira, 30 de outubro de 2013

PALAVRA DE VIDA - NOVEMBRO DE 2013


PALAVRA DE VIDA - NOVEMBRO DE 2013

Sede bondosos e compassivos, uns para com os outros, perdoando-vos mutuamente, como Deus vos perdoou em Cristo.” (Ef 4,32)

É um programa de vida concreto e essencial. Só ele já bastaria para criar uma sociedade diferente, mais fraterna, mais solidária. Ele faz parte de um amplo projeto que o Apóstolo Paulo propõe aos cristãos da Ásia Menor.

Naquela comunidade foi alcançada a “paz” entre judeus e gentios, os dois povos até então divididos que representavam a humanidade.

A unidade, doada por Cristo, deve ser sempre reavivada e traduzida em comportamentos sociais concretos, inteiramente inspirados pelo amor mútuo. Daí as indicações de Paulo sobre o fundamento das nossas relações:

“Sede bondosos e compassivos, uns para com os outros, perdoando-vos mutuamente, como Deus vos perdoou em Cristo.” 

Continue a leitura.......

sábado, 19 de outubro de 2013

QUE TUDO DESMORONE, MENOS A CARIDADE ENTRE NÓS

Ao assistir o telejornal, a sensação que nos dá é que o mundo inteiro está desmoronando à nossa volta, tantas são as tragédias e os índices de violência.
De um modo contrastante vivo uma experiência com pessoas, que colocam a caridade recíproca como a coisa mais importante do dia, que vale mais que tudo.
Isso me dá esperança que algo está mudando no coração de cada um.
O amor é silencioso, mas potente.
Não faz alarde, mas transforma mentes e corações.
Destrói a mentira, corrige o errante e vence o ódio.
Portanto, mesmo que o mundo desmorone, o amor o reconstrói.
Perguntaram certa vez a Madre Teresa de Calcutá: O que deve mudar no mundo?
Ela respondeu: Eu e Você.
Para hoje, dia 19 de outubro de 2013:
"QUE TUDO DESMORONE, MENOS A CARIDADE ENTRE NÓS"
Abraços,
Apolonio

1ª MOSTRA CULTURAL CIDADE NOVA

Movimento dos Focolares vem convidar você para uma Noite Cultural, para a qual você poderá chamar seus amigos e familiares. A sua presença e de seus convidados será motivo de grande satisfação para nós.
Haverá números artísticos e um agradável bate-papo. 
Será no dia 24 de outubro (quinta-feira), às 20h, no Salão de Festas Cristal, no Setor de Mansões de Taguatinga, Conj. 11, Lote 8. 
Veja o convite e mapas anexos.
Se for possível, pedimos que confirme sua presença, respondendo a esta mensagem.
Agradecemos sua atenção e esperamos te encontrar na quinta-feira.
Movimento dos Focolares do DF